Polícia divulga fotos de autores de estupro presos em Rio das Ostras

 

 Intuito da polícia é que mais vítimas possam identificar criminosos

A angústia de mulheres em relação aos atos de violência sexual em Rio das Ostras está começando a se amenizar. A Polícia Civil já conseguiu prender dois autores de estupros no município. Wagner Ferreira da Silva, conhecido como “Perna fina” foi preso no dia nove de março, em decorrência de um mandado de prisão, por ter praticado estupro em via pública e, Ângelo Pereira Filho, vulgo “Velho”, foi detido no dia 27 de fevereiro por estuprar uma criança, após tê-la atraído com promessa de vantagem financeira. Ele também tinha um mandado de prisão por homicídio. Segundo a delegada da 128ª DP, Carla Tavares, cada um foi reconhecido por uma vítima.

A delegada informou que as fotos dos estupradores só não foram divulgadas antes para não atrapalhar as investigações. Ela disse que agora as fotos podem auxiliar o reconhecimento dos mesmos por outras vítimas, que devem entrar em contato com a polícia através do telefone 2771-7192. Ainda de acordo com a delegada novas fotografias serão disponibilizadas em breve pela polícia. “As vítimas não precisam ter vergonha de nos comunicar e qualquer informação é importante para ajudar nas investigações. Assim temos como tirar outros agressores das ruas”, ressalta.

Na edição 104 do jornal RJNEWS, a delegada havia informado que ninguém do movimento “Chega de estupros em Rio das Ostras” a tinha procurado para falar sobre o assunto. No entanto, segundo Carla Tavares, já na última semana, um grupo de mulheres que vem se manifestando pelo fim da violência sexual desde janeiro, reuniu-se com ela e expôs toda a preocupação com os ataques as mulheres na cidade.

Ainda de acordo com Carla Tavares, a Polícia Civil buscou a aproximação com os setores da sociedade civil organizada, como forma de estreitar a troca de informações, bem como possibilitar que estes setores pudessem apresentar suas demandas acerca da segurança pública na cidade, seguindo as diretrizes da Chefia de Polícia Civil, da Secretaria de Segurança e do Governo do Estado. Ela diz que uma das instâncias escolhidas para esta ação de estreitamento dos laços entre polícia e comunidade foi o Conselho Comunitário de Segurança Pública de Rio das Ostras. “Foi dialogando com o Conselho e outros grupos organizados, que foi implantado um disque-denúncia da 128ª DP, pelo número 2771-7192, onde a delegacia recebe as denúncias anônimas, garantindo total sigilo e anonimato aos denunciantes”, destacou a delegada, lembrando que com inquéritos concluídos foram identificados os dois autores de estupro no mês de março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *