Ataque terrorista deixa 5 mortos, vários feridos e fecha Parlamento britânico

Um ataque terrorista deixou ao menos cinco mortos e vários feridos e fechou o
Parlamento britânico na tarde desta quarta-feira (22), em uma área das zonas mais
turísticas de Londres.

Mark Rowley, chefe das operações antiterroristas da Polícia Metropolitana de
Londres, confirmou que o suspeito está entre as cinco vítimas. Um dos mortos é um
policial; outras duas pessoas morreram na ponte Westminster. Pelo menos 40
pessoas ficaram feridas. Rowley disse ainda que a polícia acredita que o terrorista
agiu sozinho.

O ataque começou na ponte Westminster, que cruza o rio Tâmisa e dá acesso ao
Parlamento, onde pessoas foram atropeladas por um carro. Em seguida, o
motorista bateu contra as grades do Parlamento e teria tentado entrar no prédio
com uma faca antes de ser atingido pela polícia nos jardins do Parlamento, onde
feriu policiais, e levado a um hospital, onde morreu.

A morte de uma mulher, que teria sido encontrada debaixo das rodas de um ônibus,
foi confirmada pelo St Thomas’ Hospital. O hospital também afirmou que alguns dos
feridos estão em situação “catastrófica”.
A primeira-ministra do país, Theresa May, se encontrava no Parlamento na hora do
incidente.
Em nota, o governo brasileiro informou que não há registro de brasileiros entre as
vítimas.

Testemunhas afirmam que dois policiais teriam tentado conter o autor do ataque,
aparentemente um homem de meia-idade, sendo que um deles caiu no chão logo
depois, confirmando as notícias de que um agente teria sido esfaqueado.

“O outro começou a pedir ajuda, enquanto o agressor prosseguia sua corrida rumo
à entrada do Parlamento. Dois homens à paisana e armados com pistola primeiro o
intimaram a parar, depois dispararam duas ou três vezes, e ele caiu”, contou à rede
BBC a testemunha Quentin Letts. Segundo ele, o homem era robusto e estava
vestido de preto.

Três estudantes franceses estão entre os feridos, informou o primeiro-ministro da
França, Bernard Cazeneuve. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, os
alunos são da escola Saint-Joseph de Concarneau, de Finistère, que fica na região
da Bretanha.

Uma mulher foi retirada do rio Tâmisa viva após o atentado e está em tratamento
com ferimentos graves. Ainda não está claro se ela caiu ou saltou da ponte durante
o atropelamento. O rio foi fechado para todo tráfego não emergencial na área.
A Polícia Metropolitana de Londres disse que está tratando o incidente como
“terrorismo” e confirmou que seus agentes foram acionados às 14h40 (11h40 de
Brasília) e foram para a ponte Westminster. “Os policiais –incluindo
policiais armados– permanecem no local e nós estamos tratando isto como um
incidente terrorista até que tenhamos informações contrárias,” disse a polícia em
comunicado.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, vai conduzir uma reunião de emergência
do comitê de segurança do governo nesta quarta-feira.
De acordo com o jornal “Guardian”, um policial informou que nenhum terrorista
conseguiu entrar no prédio do Parlamento. “Eu claramente ouvi tiros. Vi alguém
vestido de preto cair. Acho que era um policial”, declarou um funcionário do
Parlamento.

Um helicóptero pousou no gramado em frente ao edifício para participar do
atendimento aos feridos. Ambulâncias e carros de polícia cercaram a região, que
está completamente fechada.
A estação metrô de Westminster que fica perto do local também foi fechada a
pedido da polícia. A London Eye, a roda gigante que é uma atração turística e que
fica oposta ao Parlamento, do outro lado da ponte, está fechada, com vários turistas
ainda a bordo.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, está em segurança, disse um porta-voz
do gabinete da premiê, sem informar onde ela se encontrava quando ocorreu o
ataque. O incidente ocorreu depois da sessão semanal na Câmara de perguntas
primeira-ministra
As entradas do Palácio de Buckingham, residência oficial da rainha Elizabeth 2ª,
foram fechadas após o ataque no Parlamento do Reino Unido. A sede da
monarquia também teve sua segurança reforçada. A monarca estaria dentro do
edifício.

Fonte: UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *