Dirofilariose: Macaé participa de campanha para detectar doença em cães

2017-12-16 14:14:00 – Jornalista: Genimarta Oliveira

Dirofilariose: Macaé participa de campanha para detectar doença em cães

A Secretaria de Saúde de Macaé, por meio da Coordenadoria Especial de Promoção da Saúde dos Animais e Controle de Zoonoses (CEPSACZ), em parceria com a Sociedade de Cardiologia Veterinária do Estado do Rio de Janeiro, realizou neste sábado (16) a primeira Campanha de combate à Dirofilariose, também conhecida pela doença do “verme do coração”, transmitida pela picada de mosquito.

A ação, que aconteceu na Unidade de Castração de Cães e Gatos, do bairro Lagomar disponibilizou gratuitamente 100 teste para a detecção da doença. De acordo com a médica veterinária e presidente da SBCV-RJ, Eliza Camolezi, o trabalho desenvolvido em Macaé e o interesse do coordenador da CEPSACZ, Rafael Amorim, foram decisivos para escolha da cidade para sediar a campanha.

Ela acrescentou que, desde setembro, a entidade vem fazendo este trabalho em vários estados e no Rio de Janeiro a Região dos Lagos é a área com maior número de casos positivos. “Este trabalho de levantamento de casos em Macaé, será publicado durante o Congresso Internacional de Cardiologia Veterinária, no mês de novembro de 2018, em Campos do Jordão”, disse.

Rafael ressaltou que os animais com resultado negativo para a dirofilariose receberão, preventivamente, vermífugo injetável e os casos positivos serão orientados de como proceder, pois a doença tem controle e tratamento, de acordo com o grau. “Este trabalho é fundamental para a prevenção e o diagnóstico precoce, como também evitar a transmissão ao homem. Mesmo sendo rara, a dirofilariose é uma zoonose e pode ser transmitida ao ser humano pela picada de um mosquito contaminado”, frisou.

Ele lembrou que o objetivo é chamar atenção da população para importância da vermifugação dos cães e gatos, com produtos que combatem a larva do verme, para não desenvolverem a doença. Além da coleta do sangue do animal para diagnóstico e levantamento das informações, os animais passaram por exame clínico e os donos orientados sobre a doença. Na ocasião também foi disponibilizada vacina antirrábica.

O cardiologista e vereador, Márcio Bittencourt falou do trabalho desenvolvido pela prefeitura no controle das zoonoses, que são as doenças transmitidas dos animais para o homem. “A criação de uma unidade de castração é de utilidade pública e evita muitas doenças para o ser humano, além de fazer o controle da natalidade de cães e gatos”.

O resultado do exame estará disponível na Unidade de Castração de Cães e Gatos, em sete dias. A veterinária voluntária, Géssica Ramos, lembra que o animal infectado pode ser assintomático no início, mas em estágio avançado da doença podem apresentar sintomas como, tosse, emagrecimento progressivo, dificuldade respiratória, língua azulada, desmaios e cansaço.

– As larvas ficam alojadas no coração do animal e ocupam o espaço do sangue, e o mesmo não consegue fazer sua função que é bombear o sangue. Quando não tratada, a dirofilariose pode levar a morte -, explicou .

O pintor Rodrigo Gomes levou o seu cachorro Harry para fazer o exame e vacinar contra a raiva. O cão que foi adotado este ano, é o xodó dos irmãos Larissa e João Miguel. “A prefeitura está fazendo um trabalho muito importante no Lagomar, quando adotamos o Harry, logo foi castrado aqui na unidade e hoje temos a oportunidade de receber gratuitamente este serviço para verificar sua saúde”, falou.

Dirofilariose – A dirofilariose canina é causada pelo verme redondo Dirofilaria immitis, transmitido por mosquitos comuns pertencentes aos gêneros Culex, Aedes e Ochlerotatus. As regiões litorâneas costumam apresentar condições mais favoráveis ao desenvolvimento dos mosquitos. A evolução da doença é lenta, podendo demorar até 12 meses para o animal apresentar algum sintoma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *